BELO MONTE - DISCURSO POSITIVISTA DESENVOLVIMENTO R$ ECONÔMICO VERSOS O DESENVOLVIMENTO HUMANO

28/02/2014 21:15

BELO MONTE - DISCURSO POSITIVISTA

DESENVOLVIMENTO R$ ECONÔMICO

VERSOS O DESENVOLVIMENTO HUMANO

Por: Justino Amorim da Silva

http://lattes.cnpq.br/3279010299709231

 

Os questionamentos de Cientistas, sociólogos, Geógrafos, Ambientalistas, Religiosos, Defensores de Direitos Humanos, Movimentos Sociais, Indígenas, Quilombolas, Ribeirinhos, Extrativistas, em fim de todos aqueles comprometidos com a ética, o compromisso social e com um projeto de sociedade que não concordam com a maneira de como são desenvolvidos grandes projetos que beneficiam corporações capitalistas e escravizam milhares de pessoas seja pelo trabalho forçado de longas horas e com salário miserável, seja pela especulação financeira que gira no entorno dos grandes empreendimentos como é o caso de Belo Monte, seja pelos impactos ambientais, culturais, econômicos e pelos desrespeitos e invasão das terras dos povos tradicionais e pelos impactos sociais nas cidades e regiões onde se desenvolvem tais projetos será sempre latente uma guerra interrupta da burguesia travada diante dos conflitos sociais numa constante luta de classes.

 A questão não é ideológica e nem de ser contra o Projeto em sua totalidade, as questões precisam ser levantadas, pesquisadas, analisadas e é isso que os estudiosos, pesquisadores e cientistas fazem e o fazem com propriedade.

Altamira na atual circunstância quem ganha R$ 3.000 reais ao mês não é suficiente para se viver bem devido ao processo especulativo que se criou em torno do Projeto Belo Monte. A culpa em maior grau é do Estado com certeza, mais também da sociedade e das grandes empresas que tem as condições financeiras e tecnológicas e não assumem a responsabilidade social.

Os governantes corrompem e corrompem e passa anos e não elaboram políticas públicas necessárias para a realidade de cada região e de maneira especial para Altamira e Região da Transamazônica que sempre ficou esquecida durante décadas, isso é fato.

As políticas públicas as quais estão sendo realizadas agora deveriam ter sido realizadas anteriormente ao projeto, o que já era uma carência de décadas, não é uma necessidade somente por causa da realização do projeto em questão, a Cidade se encontra no anonimato devido a irresponsabilidade pública de décadas, descaso dos parlamentares do Estado do Pará e também do Governo Federal. Os impactos Sociais, Ambientais, Culturais e Econômicos que agora se afloram e se agravam são consequências do esquecimento dos políticos em elaborar, planejar e executar políticas públicas para Altamira e demais municípios ciclo vizinhos de toda a região da Transamazônica. Tais municípios dependem do Município pólo Altamira. Hospitais, Universidade, Cartórios, Bancos, Comércio em geral, ainda é a base de atendimento paras os demais moradores das cidades da Região da Transamazônica. O hospital Metropolitano já era uma necessidade independente de Belo Monte para atender tais municípios como já citado. Escolas sempre houve a necessidade de se reformar e construir novas com ou sem Belo Monte, claro que com a Hidrelétrica as necessidades se alargam, a população aumentou em praticamente 50%. Qualquer fala de que não se poderiam iniciar obras como a do Hospital Metropolitano antes de saber se a Hidrelétrica seria construída é totalmente equivocada ou mesmo ignorante.

Que bom que alguma coisa está sendo feita no que toca as políticas públicas, no entanto é preciso dizer que pelo anunciado, as casas, escolas, saneamento básico e outras obras públicas que estão sendo implantadas não serão suficientes para atender a população atual devido à realidade populacional em que se encontra a Região e que tais políticas estão atrasadas isso é fato.

Altamira na sua atual conjuntura precisa de saneamento básico, saúde que está um caos, escolas, transporte, pavimentação das ruas, Projeto ambientalista sério, Três Igarapés cortam a cidade. Panela, Ambé e Igarapé Altamira e todos eles estão sendo afetados ambientalmente e serão mais ainda com a Hidrelétrica de Belo Monte.

O projeto Belo Monte irá gerar energia necessária para o país? Que ótimo; Gera emprego? Que bom; Melhora a vida das pessoas? Que bom. Irá trazer desenvolvimento para o país? Esperamos que sim. Que haja desenvolvimento e melhorias para todos.

Não tenhamos dúvidas de que muitos em Altamira e Transamazônica que não tinham um trabalho, agora podem ganhar um salário para garantir o pão de cada dia aos seus filhos, isso é bom ainda que não seja o suficiente. Nem só de salário vive o homem, nem só de pão vive o homem, nem só de cerveja vive o homem. O Ser humano necessita de Educação, saúde, lazer, geração de trabalho e renda, e, alimentação de qualidade o que é fundamental para se ter saúde, transporte, cultura, espiritualidade e religião encarnada com e no mundo em que vive político, econômico, social, cultural e ambiental.

O Tempo das cavernas já ficou para trás, método positivista está ultrapassado. O velho discurso de que para haver progresso haverá benefícios e maléficos, se - precisa destruir culturas, destruir o meio ambiente, escravizar pessoas com salários miseráveis ou até mesmo assassinar Indígenas como já ocorrido, haverá sempre os dominadores e os dominados, haverá sempre empregados e patrões é totalmente ridículo, arcaico, medieval. Isso sim é ideologia e é mortífera.

Há tecnologias, há cientistas, há recursos humanos e financeiros suficientes para se desenvolver Projetos onde a Dignidade da pessoa humana seja garantida, onde os recursos naturais sejam pelo menos em parte respeitados o que não está acontecendo em nenhum projeto do PAC. Os Povos Tradicionais deveriam ser ouvidos, amparados e respeitados, a Cultura está esquecida, a única cultura que está em cheque é do consumismo, do lucro pelo lucro se sobrepondo ao ser humano e ao meio ambiente.

Portanto os Problemas sociais, ambientais, econômicos e Culturais e a necessidade de elaboração, planejamento e execução de políticas públicas são antigos, estão atrasados no tempo e no espaço. Com o Complexo Hidrelétrico B.M as necessidade só aumentam o que deveria ter sido resolvido muito antes.

Sou contrário aos disparates que o Estado Brasileiro tem cometido com a população por não elaborar e planejar de forma correta tais projetos, colocando o povo em situação de risco social e ambiental e ameaçando suas culturas. Se o Projeto apresenta problemas socioambientais o maior e grande responsável é sem dúvida o Estado.

Não somos contra a riqueza e o desenvolvimento, mais sim contra a sua má distribuição e de que forma se consegue a riqueza e o desarrolho, somos a favor de vida digna para todos, pão na mesa de todos, moradia para todos, em fim, que os direitos fundamentais sejam assegurados.

A crítica aqui exposta não se pauta em fazer uma construção ideológica negativista do projeto e nem de condenar a CCBM Consórcio de Empresas responsáveis pela construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte. Até por que as empresas podem devem e tem as condições ideais de contribuir para a melhoria de vida das pessoas dando lhes oportunidades de trabalho, basta que as ações empresariais sejam pautadas em princípios éticos com responsabilidade social e desenvolvimento sustentável.

Queremos o desenvolvimento econômico, político, social, cultural, ambiental e humano.

 

Fonte:

SILVA, J. A

E-mail: sociologoamorimdasilva@gmail.com

http://cms.ciencias-sociais-pesquisas.webnode.com/?aw=1